Ir para o conteúdo Pular para a barra lateral Pular para o rodapé

Google Analytics 4 – O que você precisa saber agora

O começo uma nova era

O Google pegou todo mundo de surpresa ao anunciar que vai descontinuar o Google Analytics 3, conhecido como Universal Analytics (UA), que é a versão utilizada pela maioria das empresas ainda hoje. Esta versão do Google Analytics não vai mais processar dados a partir do dia 1º de Julho de 2023. 

O Novo Google Analytics, conhecido como GA4, será a única opção disponível a partir desta data, mas já está disponível para todo mundo há algum tempo.

A primeira coisa que você precisa saber é que o GA4 é uma plataforma radicalmente diferente, totalmente separada e neste momento é recomendável já começar a utilizá-la em paralelo com o Universal Analytics. 

O GA4 já existe há bastante tempo, mas anteriormente era conhecido como “Web+App”, pois reúne dados de diferentes plataformas (websites, aplicativos Android e aplicativos IOS) no mesmo lugar.

A filosofia do GA4 se difere muito da versão anterior e é toda baseada em eventos, enquanto a versão anterior era baseada em sessões e visualizações de páginas. Temos um ganho muito relevante no que tange a mensuração do comportamento dos usuários ao longo de diferentes utilizações, em diferentes dispositivos. Na versão anterior, uma mesma pessoa produzia 2 usuários diferentes ao utilizar o site em dispositivos diferentes (ex: celular, desktop, tablet) ou mesmo navegadores diferentes (como Chrome e Firefox), pois os usuários eram marcados através de cookies e essa limitação vai ficar no passado a partir de agora.

Meu nome é André Carneiro e eu serei o seu guia para adoção do novo Google Analytics 4. Estou há longos 23 anos no mercado de marketing digital, com foco em marketing de buscas, trabalhei com todas as versões do Google Analytics e sou professor de Analytics em cursos de pós-graduação em diferentes universidades há mais de 10 anos (atualmente atuo em 4 cursos da PUC Minas). Sou também o diretor-fundador da The Agency (agência e consultoria), criador da Amarred Academy (treinamentos em marketing digital), criador do podcast Google Ads na Veia (cujo nome é auto-explicativo e está disponível em todas as plataformas). Durante a minha trajetória profissional, já atendi empresas de todos os portes e dos mais variados segmentos, de cemitérios a viagens para Disney, com grande concentração de empresas de tecnologia. Então, chega de apresentações e vamos para o conteúdo que preparei para você.

Informações Críticas

A versão anterior do Google Analytics (UA) vai parar de coletar dados na metade de 2023 e você não terá mais acesso aos seus dados antigos cerca de 6 meses depois (nem mesmo via API). É hora de começar a pensar em como exportar os seus dados mais importantes para eventuais consultas, embora pela minha experiência não faz sentido olhar para dados muito antigos, num mundo que muda em uma velocidade assustadora. De qualquer forma, e apenas por enquanto, você ainda pode exportar os seus relatórios favoritos em PDF, Excel, CSV ou exportar para o Big Query (mais informações sobre este último recurso, aqui).

Mesmo que você ainda não tenha a menor ideia do que fazer com o novo GA4, é importante fazer a implementação mínima para começar desde já a acumular dados para análises futuras.

Enquanto o antigo Google Analytics (UA) possuía dezenas de relatórios prontos, a nova versão do sistema exige muito mais conhecimento por parte do usuário, que precisará se virar para criar eventos e dimensões customizadas de acordo com as suas necessidades, para só então criar relatórios personalizados que façam sentido. As opções de relatórios prontos são poucas e não se aplicam a todo e qualquer tipo de negócio.

Outras diferenças importantes

Nós estávamos acostumados(as) a uma hierarquia do GA que consistia em Conta, Propriedade e Vista de Propriedade, mas não existe mais Vista de Propriedade no GA4.

Os eventos no GA3 possuíam 3 dimensões (categoria, ação e rótulo) e 1 métrica (valor). No GA4, os eventos podem possuir vários parâmetros personalizados. No entanto, se você quiser ver estes parâmetros personalizados em relatórios, é necessário também criar dimensões personalizadas correspondentes a cada parâmetro. Há um limite de 50 dimensões personalizadas com base no escopo do evento e 50 métricas personalizadas por propriedade. Essa é, portanto, uma ótima oportunidade para refletir e repensar como vai estruturar a mensuração do seu site com o novo Google Analytics.

Uma vez criado um evento, o próximo passo é praticar bastante mindfulness e trabalhar o seu músculo da sua paciência, pois os eventos podem demorar até 24 horas para aparecer nos relatórios do GA4.

O novo GA4 tem 2 recursos novos muito interessantes. Além de trazer cards de insights (análises feitas por robôs), ele também pode trazer previsões de tendências futuras, após uma certa quantidade de dados históricos.

Dicas rápidas de SETUP

Utilize o Google Tag Manager para gerenciar as tags de GA3 e GA4 no mesmo Container e aproveitando alguns gatilhos antigos mas lembre-se, as Tags são diferentes no GA4, então precisam ser criadas separadamente.

Você deve habilitar o Google Signals para obter dados demográficos (sexo e idade) e poder fazer remarketing em campanhas pelo Google Ads (depois de vincular a sua conta de anúncios com a nova propriedade de GA4, evidentemente).

O novo GA4 só retém dados por um período de 2 meses (o que é muito pouco), mas felizmente é possível alterar a configuração para reter dados por até 14 meses.

Conclusão

Há muito o que aprender sobre o ovo GA4, mas ainda há tempo. A única coisa que você não pode fazer é ficar parado(a) e esperar o fim do GA3 para começar a se movimentar pois, neste caso, você ficará no escuro, terá que aprender tudo muito rapidamente e as chances de erros (que ocorrerão facilmente sem o conhecimento adequado) serão enormes.

Espero que este artigo tenha sido útil para você ter uma ideia do tamanho do desafio que possui pela frente. Eu já estou trabalhando na migração de mensuração dos meus clientes para o novo GA4 e compartilharei dicas e truques em novos artigos por vir. Fique à vontade para se conectar comigo no Linkedin e me contar sobre os seus pensamentos e sobre o tema.

Autor: Associado da Fumsoft e CEO da The Agency, André Carneiro

.

Deixe um comentário

Esse site usa cookies

Nós armazenamos dados temporariamente para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo do seu interesse. Ao utilizar nosso serviços, você concorda com tal monitoramento

Politica de Privacidade